Meio&Mensagem
Publicidade

Maximídia

05 A 07 DE OUTUBRO - HOTEL UNIQUE - SÃO PAULO/SP

Qual é a nova jornada do e-commerce?

Gabriela Mattiuzzo, CMO Latam da Farfetch, e Carla Moraes, diretora de e-commerce da Avon, falam sobre os desafios das jornadas de compra no online

Isabella Lessa
6 de outubro de 2021 - 21h08

Carla Moraes, da Avon, e Gabriela Mattiuzzo, da Farfetch (Crédito: Eduardo Lopes/Imagem Paulista)

De um lado, uma empresa centenária. De outro, uma que está no mercado há pouco mais de uma década. Em posições de destaque em cada uma delas, mulheres com background digital: Carla Moraes, diretora de e-commerce da Avon, atuou no mercado financeiro e de tecnologia, e Gabriela Mattiuzzo, CMO Latam da Farfetch, é engenheira eletrônica de formação. Juntas, falaram ao Maximídia sobre os desafios do varejo em meio à ascensão do e-commerce.

A Avon sempre funcionou como uma rede social, mas que não era digitalizada. Hoje, segundo Carla, o desafio é justamente ajudar a digitalizar essa rede ajudando as vendedoras a usar ferramentas digitais, a promover inclusão e a melhorar o relacionamento entre profissionais e vendedoras. “O índice de satisfação com nossas ferramentas digitais cresceu dois dígitos. A Natura falou muito sobre essa relação entre representante e plataforma digital, trouxe uma luz para isso. E isso facilita com que a Avon beba dessa fonte, com tranquilidade”.

Para a Farfetch, um unicórnio português, o desafio é a aquisição e retenção de clientes em um segmento que, por muito tempo, resistiu ao online, explicou Gabriela. Ao longo da pandemia, a empresa lançou campanhas globais que apoiaram butiques locais e viu o consumidor aceitar plataformas digitais de luxo. “O mercado de e-commerce cresceu como um todo e o de importados, no qual a gente se insere, cresceu muito”. A profissional disse que a empresa percebeu uma mudança positiva nos hábitos dos consumidores, que passaram a comprar moletons, chinelos e item para a casa pelo site.

Se na Farfetch o desafio é conduzir a indústria de moda rumo a um ambiente despersonalização, para o que chama de “luxury new retail”, Carla diz vê, no e-commerce em geral, uma dificuldade de entregar um nível de excelência ponta a ponta. “Hoje, muitas vezes o primeiro contato com a marca é no digital. E aí vem o desafio da recompra. Do mercado de luxo às marcas para as classes B e C, há muitas coisas envolvidas”, disse.

A Avon tem investido em uma diversificação de canais, como eventos, redes sociais e influenciadores, o que resulta em uma construção eficiente de first party data, algo valioso para nortear decisões.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Patrocínio Master

Realização