Meio&Mensagem
Publicidade

Maximídia

28 DE SETEMBRO A 01 DE OUTUBRO DE 2020 | ONLINE

Branco, do McDonald’s: qual é a função de um CMO?

João Branco, CMO do McDonald’s, destaca como a companhia consegue se aproximar de seus consumidores e gerar bons resultados

Amanda Schnaider
1 de outubro de 2020 - 17h18

“Meu trabalho mesmo é fazer o consumidor gostar de estar ali, gostar do produto”, afirma João Branco, CMO do McDonald’s (crédito: Eduardo Lopes)

O último executivo a participar da trilha de CMOs da 34ª edição do Maximídia foi João Branco, CMO do McDonald’s. Branco disse que está animado, mas, ao mesmo tempo, preocupado com o mercado de marketing e comunicação. Sua preocupação diz respeito a pesquisa recém-lançada pela Harvard Business Review em que 80% dos CMOs não têm a confiança dos seus CEOs, os quais confiam nos executivos de outras funções, mas não nos executivos de marketing.

Para o CMO do Méqui, esse resultado tem relação com a forma como alguns executivos da área trabalham. “Há muitos executivos de marketing que falam muito, mas não fazem tanto”. Esses profissionais deveriam se concentrar naquilo que o marketing faz de melhor e se perguntar o que o executivo de marketing faz. “Costumo brincar que o meu trabalho é fazer o Méqui ter fila, mas meu trabalho mesmo é fazer o consumidor gostar de estar ali, gostar do produto”, concluiu.

Para construir uma relação de amor, carinho e confiança entre marca e consumidor, “o executivo de marketing tem que ter habilidade ímpar de conhecer o que está no cérebro, coração e estômago dele”, diz, reforçando que essa proximidade com o consumidor passa por entender qual é o verdadeiro propósito e entrega da marca. “Qual falta que o Méqui faria no mundo se deixasse de existir?”, indaga o CMO.

Propósito de marca
Entregar bons momentos é o propósito de marca do McDonald’s, afirma Branco. “Não queremos mudar a vida do consumidor radicalmente, mas entregar alguns bons momentos a ele”. É por isso, diz, que a companhia faz campanhas como a do GigaTasty com Márcio Canuto, a do delivery durante a pandemia e a da saudade do BigMac, com Fernanda Paes Leme. “Não fazemos isso porque gostamos muito do Márcio ou pelo lançamento de um lanche, mas porque queremos entregar bons momentos”.

O CMO do Méqui aborda o impacto das diversas ações da companhia, como as campanhas, a mudança do nome em algumas fachadas dos restaurantes e a inauguração do Méqui 1000 nos resultados efetivos da empresa. “Nunca vendemos tantos hambúrgueres na história da operação do McDonald’s no Brasil. 2019 foi o melhor ano da nossa história”, comemora.

Branco diz que, na maioria dos eventos de marketing e comunicação, se fala como conseguir a atenção de um público que está cada vez mais conectado e fragmentado. Porém, há um questionamento ainda mais importante: se a sua marca tivesse toda a atenção do público, o que faria? Branco acredita que muitas empresas seriam engraçadas ou apostariam no que está na moda. O Méqui, afirma, já quebrou essa barreira.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • João Branco

  • McDonald’s

  • campanhas

  • CMO

  • consumidor

  • jornada do CMO

  • propósito

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Patrocínio

Realização