Meio&Mensagem
Publicidade

Maximídia

05 A 07 DE OUTUBRO - HOTEL UNIQUE - SÃO PAULO/SP

Globo: foco em estratégias always on

A busca pela liderança no mercado brasileiro de streamings enaltece a importância de integrar a comunicação de marcas, produtos e serviços em diversos meios de mídia  

Victória Navarro
29 de setembro de 2020 - 12h28

Em painel de conteúdo selecionado pela Globo, patrocinadora da 34ª edição do Maximídia, Eduardo Schaeffer, diretor de negócios integrados da empresa, destaca a importância de estratégias, cada vez mais, always on. “Estreitar a relação do consumidor é permear toda a jornada do consumidor. A estratégia de comunicação das marcas, produtos e serviços precisa ser atendida em todas as plataformas. Entramos em uma terceira era da discussão sobre o papel de cada um desses veículos, plataformas, canais, janelas, dentro da estratégia de comunicação”, disse.

Para o executivo, para isso, é necessário compreender o comportamento do anunciante e, consequentemente, tomar decisões que norteiam planos de relacionamento com o consumidores: “Precisamos da capacidade de conhecer os dados ligados ao consumidor em toda sua jornada, saber interpretá-los e transformá-los em estratégia de comunicação, seja em um momento de pré-consumo, de criação de expectativa ou pós-consumo”, afirmou.

 

“Estreitar a relação do consumidor é permear toda a jornada do consumidor”, afirmou Eduardo Schaeffer, da Globo

Eduardo, ainda, ressalta que as transformações que estão acontecendo em todo o mercado publicitário tomaram uma velocidade incomparável com qualquer outro momento histórico. “Quando a gente olha para o mundo de streaming, de integração dos ambientes digitais e não digitais, isso fica claro”, falou. Durante o painel, Erick Bretas, diretor de produtos e serviços digitais da Globo, apontou cinco tendências para a indústria audiovisual. Confira:

Competição pela atenção do consumidor
Enorme competição pela atenção do consumidor. Em 2021, teremos, provavelmente, entre nove e dez serviços de streaming de primeira linha disputando a atenção do consumidor. A Globo oferecerá um desses serviços e estamos lutando pela liderança no Brasil com competidores muito fortes. Mas, temos um plano de longo prazo. Temos o objetivo de alcançar, até o final desta década, a liderança no mercado de streaming. Essa grande presença de plataformas traz muitos benefícios para o consumidor, uma oferta de conteúdo de muita qualidade, uma articulação do ecossistema de produtores e criadores capazes de encontrar cada vez mais telas para contar suas histórias.

Lógica da abundância
Teremos uma grande bagunça nas janelas de exibição, até mesmo no conceito. Antigamente, isso era muito claro. O filme, por exemplo, estreava no cinema, passava um tempo nos serviços de lojas, depois ia para a TV a cabo premium e tradicional e terminava na TV aberta. Você tinha que orquestrar as janelas e produzir escassez. E, essa lógica não existe mais. As milhares de plataformas levam a lógica da abundância. Se alguém produz escassez vai acabar sendo sufocado pelo seu concorrente do lado que está produzindo abundância. É o mesmo exemplo da Disney, que por conta da pandemia não conseguiu estrear Mulan nas salas de exibição do cinema e estreou no Disney Plus, obtendo sucesso. A gente vai ver isso com, cada vez mais, frequência. Vamos ver ou estreias exclusivas no streaming ou simultâneas entre streaming e cinema.

Formação de parcerias
Para o consumidor, deve ser muito confuso se essas janelas ficarem competindo entre elas e se a gente tiver muitos serviços, cada um com uma oferta de conteúdo e o consumidor pulando entre elas. Tende a ter um consumidor perdido, entre dez serviços. A gente tende a ver parcerias estratégicas, ofertas conjuntas, com descontos para o consumidor juntando dois ou três serviços. Estamos fazendo isso com Globoplay. Acabamos de lançar, no Globoplay, canais ao vivo e o consumidor de esporte pode, por exemplo, assistir a um jogo do Premiere pelo streaming. Uma única plataforma com diferentes assinaturas.

Ofertas mais digitais
O streaming vai permitir que a gente tenha uma oferta publicitária mais parecida com as ofertas digitais. Nós estamos apostando na tecnologia de dinamic ad insertion. Achamos que a possibilidade de por meio de uma plataforma, seja uma TV conectada ou uma caixa de streaming, saber quem é a pessoa que está do outro lado permite a substituição do espaço linear da publicidade por algo que é dinamicamente serviço por target. Vamos conseguir saber os interesses da pessoa, dados sociodemográficos, com respeito à privacidade. A gente quer, já no ano que vem, trazer ofertas dentro do Globoplay.

Briga por talentos
Continuamos tendo uma escassez, apesar da enorme abundância de plataformas, de talentos criativos para contar as melhores histórias. O número de pessoas capazes de criar, escrever, produzir, dirigir ou encenar histórias não cresce na mesma velocidade das ofertas de serviços. Vamos ter uma briga feroz pelos talentos. A Coca-Cola, por exemplo, vai focar em mais product placements dentro de conteúdos para streaming, porque, se há uma tendência de pessoas buscando conteúdo contado em plataformas com menos comerciais, a maneira de fazer sua marca aparecer precisa ser orgânica. Isso precisa ser feito de uma maneira interessante para quem está assistindo, de modo que não interrompa a história. No Globoplay, vamos ter essa preocupação, criar oportunidades para os nossos parceiros se inserirem na história desde o começo.

*Painel de patrocinador: Globo

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • eduardo schaeffer

  • erick bretas

  • Globo

  • always on

  • digital

  • streamings

  • talentos

  • TV

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Patrocínio Master

Realização